Nesta extensa pesquisa que fiz para preparar minha viagem, me deparei com diversos sites curiosos e outros bem úteis, como estes a seguir:

Airline Meals: Tem muitas fotos de refeições de diversas cias aéreas, das diversas classes, além de alguns menus e “bastidores” de onde é produzida e armazenada a comida.

*

Seat Guru: Tem um mapa dos assentos das diversas aeronaves de diversas cias aéreas do mundo, com indicações de quais são os melhores ou piores…

*

.

Subway Maps: Um guia com mapas de metro do mundo. Muito prático!

.

.

*

.

The guide to sleeping in airports: Isso mesmo! Um “guia” de aeroportos, analisados no quesito conforto para dormir/passar um tempo.

.

*

The Bathroom Diaries: Dicas para encontrar banheiros limpos! Mas tbém tem indicações de algumas informações, como acesso a cadeira de rodas e segurança.

.

*

Airport Maps: um guia de aeroportos.

.

*

Alimentos em 7 idiomas: não precisa explicar, né?

Fazer uma mala que não seja muito pesada, mas seja suficiente para não passar aperto durante a viagem é uma arte!

Quando eu não preciso me preocupar com o peso da bagagem, volume que ocupa e como irei carregá-la, eu exagero. Coloco mil coisas que nem chegarei a ver. Mas quando se trata de uma viagem de 20 dias pela Europa, no início do outono, com a franquia de bagagem máxima de 20 quilos nas viagens entre os países que visitarei, a coisa muda de figura…

Tudo tem que ser bem pensado. Porque não vai ter ninguém para ajudar a carregar a mochila, não vai haver muito tempo para ficar lavando roupa e, principalmente, em um lugar onde não entendo nada do que as pessoas falam é importante ter coisas básicas à mão (como remédios usuais e coisinhas de emergência)…

Ainda não testei a minha mochila, mas pretendo fazer isso nessa semana. Colocar td o que penso em levar, fechar e ir até a farmácia mais próxima para pesar. Com isso eu tenho idéia se consigo carregar a mochila e quanto ela pesa, para não ter problemas mais tarde e ter que ficar tirando coisas em pleno aeroporto.

E para ter a (quase) certeza de que não esquecerei nada importante, fiz uma listinha no word, baseada em outras que encontrei pela internet:

DOCUMENTOS:

  • Passaporte e identidade
  • Cartão/comprovante do seguro de saúde
  • Cópias dos documentos (uma fica em casa) e números de emergência
  • Endereços de lugares indicados (lojas, livrarias, cafés, etc)
  • Fotos 3×4 (para o caso de fazer “passes” para transporte)
  • Vouchers de passagens, reservas e roteiro (tbém mandei cópias para meu e-mail, Google Docs e para pessoas próximas)
  • Guias e mapas (serão os únicos livros que levarei)

DINHEIRO:

  • Cartão de crédito
  • Visa Travel Money
  • Dinheiro em espécie

ELETRÔNICOS:

  • Celular e carregador
  • Máquina fotográfica e carregador
  • Adaptador de tomada

ACESSÓRIOS PARA BAGAGEM:

  • Identificações / etiquetas
  • Cadeado
  • Braçadeiras de plásticos (lacres)
  • Cortador ou tesourinha (vai despachado, mas com fácil acesso)

MALA DE BORDO:

  • Necessaire com lenços de papel e lenços umedecidos
  • Casaco
  • Muda de roupa + meias
  • Escova e prendedor de cabelo
  • Bolsa
  • Óculos de grau e sol
  • Toalha (comprei uma superabsorvente, de esportes e levo outra tipo fralda de bebê)

UTILITÁRIOS E PRÁTICOS:

  • Carteira de viagem (doleira)
  • Sacos plásticos (para levar comida aos pique-niques ou pequenas emergências)
  • Talheres de camping
  • Sombrinha
  • kit costura de emergência

NECESSAIRE:

  • Escova e pasta de dentes + fio dental
  • Desodorante
  • Colírio e Airclin
  • Remédios básicos (para dor de cabeça, enjôo, azia, bandaid, bandagem, esparadrapo, relaxante muscular, spray anti-séptico, etc)
  • Shampoo + condicionador + sabonete
  • Algodão + cotonetes
  • Hidratante + filtro solar + protetor labial
  • Lixa e alicate de unha + pinça
  • Perfume
  • Absorventes
  • Repelente (pq sou alérgica)
  • Acessórios (brincos, presilhas, etc)
  • Produtos para pele (limpeza e anti-acne)
  • Maquiagem (básico)

As roupas eu não coloquei aqui porque cada um tem suas particularidades. Eu levarei o básico: calça jeans, blusinhas com mangas curtas e longas, roupas de ginástica para dormir (já que ficarei em hostels), uma jaqueta impermeável, outra mais arrumadinha, um casaquinho quente, tênis, sandália/sapatilha e chinelos, um cachecol e uma canga para fazer pique-nique.

Duas ferramentas fundamentais (mas não novidades) para quem está planejando uma viagem: Google Maps e Google Earth. Eu as utilizei bastante no momento da pesquisa de hospedagem e dos lugares que queria visitar.

No Google Earth pode-se visualizar o endereço exato, selecionando o que mais quiser de informações: ruas, mercearias, bares, alojamento, construções 3D,… enfim, uma infinidade de opções que você pode configurar, dependendo do seu interesse. É legal ir “passeando” pelas redondezas do albergue, o caminho que leva àquele lugar tão sonhado… Acho que a viagem inicia mais cedo, só olhando para essas imagens. E tem muitas fotos também, que colaboram para isso…

O Google Maps também me auxiliou muito na localização dos albergues, cafés e pontos turísticos. Mas seu papel principal foi na montagem do roteiro. Primeiro eu fiz uma lista (gigantesca) de lugares/monumentos/museus que eu gostaria de visitar. Então joguei todos os endereços no site e salvei. Com calma, fui montando o roteiro, escolhendo uma ou outra coisa, verificando o que poderia ser feito no mesmo dia, etc. Em meus mapas eu coloquei os marcadores com diferentes cores e desenhos para indicar os dias e períodos. Coisa de nerd, eu sei. Não sei se vou seguir à risca o roteiro, mas pelo menos eu tenho a noção do que eu posso fazer e a certeza de que os lugares que quero ver estarão abertos em tal dia.

Definidos os lugares e datas é hora de escolher a hospedagem. Viajar sozinho tem esse drama: tudo é mais caro!

Enquanto choviam dicas de bons hotéis, por um preço camarada para casais, ninguém (ou praticamente ninguém) indicava uma boa opção para viajantes solitários… Nem nas revistas especializadas, nem nos guias, nem nas comunidades do Orkut.

O jeito foi fazer uma longa pesquisa, que resultou no óbvio: para viajar sozinho, o melhor é ficar em albergues (a não ser que se tenha grana sobrando e nenhuma vontade de conviver com pessoas durante sua viagem).

Mas qual o melhor? O problema de buscar informações sobre hospedagem é que é tudo muito subjetivo. E tem muita informação falsa também. É preciso uma boa dose de paciência para ler muitos comentários e dicas, ver muitos sites, comparar…

Um bom site para saber sobre hospedagem, lugares para se visitar e restaurantes é o Trip Advisor. Foi com ele que descobri que o Hostel que eu tinha escolhido para Paris não era tão bom quanto eu imaginava.

No caso de albergues, é bom pesquisar bastante neste e nos sites de redes de albergues e os que fazem as reservas, como HostelBookers, Hostels.com, European Hostels, Europe’s Famous Hostels, Hostelling International e Hostels Club. E, por fim, “dá um google”, que ainda se encontra outras informações! rs

(Vale ressaltar que as dicas que passo aqui vêm de muita leitura dos sites aí do lado, revistas e dicas das comunidades do Orkut).

Depois de planejar, com a ajuda do calendário, as datas e lugares, agora é a hora de ver se o roteiro pode se realizar. Pesquisei um pouco sobre quais cias aéreas faziam a rota, e  procurei me informar sobre a cia escolhida. Para fazer o trecho São Paulo-Paris, escolhi a Varig, que na época ofertava passagens mais baratas.

Qual não foi a minha surpresa que a Varig, no dia seguinte que eu comprei a passagem, cancelou a rota. O que tinha sido um bom negócio acabou sendo um tormento no fim de semana que tive que esperar para saber o que fazer.

No final das contas tudo deu certo, mas passei a ficar de olho em um site muito legal, o Aquela Passagem, em que o autor dá dicas (boas) sobre como encontrar a melhor passagem, como comprar, comparativos de preços, dicas de promoções e programas de milhagem, etc.

Para os vôos entre os países que eu queria visitar (França, Reino Unido, Portugal e Espanha), optei pela pesquisa no Skyscanner. Há ainda o Wegolo, Atrapalo (esse também pesquisa ingressos de espetáculos e shows, além de hotéis e restaurantes), Flylowcostairlines (que indica quais empresas fazem a rota solicitada), Flights, Kayak, Flycheapo (que também tem algumas notícias sobre as low-costs) e Attitude Travel. Não usei os sites brasileiros como Decolar ou Submarino Viagens, porque os considero ineficientes para encontrar uma boa tarifa.

No Skyscanner consegui visualizar os vôos disponíveis, tarifas e local e pouso e decolagem. Sim, porque as cias low-costs, em geral, utilizam um aeroporto “genérico”, e quase sempre mais afastado da cidade. Às vezes pode não compensar o transtorno e o preço do transporte para chegar até o centro da cidade. No meu caso, tive que escolher outra cia, um pouco mais cara, para chegar ao aeroporto que queria em Londres.

Para todos os trechos, comprando com antecedência, dá para conseguir bons preços. Mas isso vale para pessoas como eu, que não sai de casa sem um plano e não acha que comprar tudo antecipadamente pode “engessar” a viagem. Para quem gosta de fazer as coisas pelo impulso, boa sorte! rs

A idéia da viagem surgiu há quase um ano, mas foi em janeiro/fevereiro que as coisas começaram a se tornar reais. Eu tinha decidido mais ou menos os lugares pra onde iria, e a época. Mas, assim, era uma coisa beeem vaga. E quando solicitei o orçamento das passagens pra um amigo que tem uma agência de viagem é que ficou realmente sério. E aí eu surtei, porque não havia nada decidido e eu estava beeem confusa.

Então uma amiga queridíssima, que tem já alguma experiência em viagens (thanks, Me), pacientemente veio me ajudar. E me mostrou o método que ela usa para montar o roteiro e planejar uma viagem. É simples. Basta uma folha de papel sulfite, uma régua e um lápis para construir uma tabela, como um calendário (ou vc pode fazer no computador).

Parece bobo, mas é extremamente útil para se visualizar as datas, e montar o roteiro de “quantos-dias-ficar-aonde”. E com isso vc visualiza também os dias em que vai viajar de um lugar para o outro (no meu caso eu optei na maioria das vezes pelo fim de semana), pensa no horário de viagem, tudo. Simples e muito eficaz.

Nem só de guias impressos se faz um planejamento de uma viagem… Aqui estão os links de sites, com boas informações:

Time Out: em português, dá boas dicas de passeios, com algumas informações diferenciadas. Achei bem bom, principalmente por eu entender tudo o que está escrito!😉

*

Editoria de Turismo, da Folha Online: tem boas matérias sobre os destinos, e boas informações como: “entenda sua passagem” e “saiba como tirar o passaporte“.

*

Terra Turismo: Boas informações práticas e curiosidades. Bom para o começo de pesquisa.

*

Viaje aqui: ótimo site, com as matérias da Revista Viageme  Turismo e muitas informações sobre o destino escolhido. Também tem blogs de diversos temas, voltados ao turismo.

*

Revista Minha Viagem: é novo, assim como a revista. mas dá algumas boas dicas, com experiências dos leitores.

*

Grupo Viagem: É um site meio chato, mas tem algumas dicas e referências.

*

Mapa Mundi: é um site de aparência um pouco estranha, mas tem boas dicas gerais de viagens e destinos. Vale uma consultinha…

*

Guia Frommer’s: em inglês, mas excelente. Tem boas dicas, inclusive de “Walking Tours”, como estes, de Paris. Vale a pena!

*

Guia Lonely Planet: em inglês, mas também muito bom. Ótimas dicas práticas, muitas indicações de lugares.

*

Traveler americana: em inglês, não é muito diferente de outros guias. Mas tem alguns vídeos de lugares, restaurantes, lojas, que são bem bacanas. Vale dar uma olhadinha.

*

Traveller inglesa: em inglês, é mais um guia. Não vi nada de especial, mas é mais um link que pode ser útil.

*

P.S: Não ganho nada, de nenhum destes sites, e o que escrevi é baseado na minha experiência de busca.